fale connosco


2017-09-22

manuel vieira - esposende

"Já Bocage não sou", mas no seu dia as excrecências de que todos se livram serviram de mote à inspiração do nosso amigo Lamas que mereceu um sucedâneo do Martins Ribeiro, sempre atento e desejoso de versejar.

É verdade que algumas palavras não tinham os melhores enfeites mas também é verdade que  ninguém teve as tais sensações odoríferas que fazem reagir os vivos. E ninguém reagiu, com a devida exceção para o poeta António.

Dizia o Lamas que tivera intenções de mexer com a plateia ... mas não se sentiu o efeito. Mas sei que alguns dos nossos colegas mais vocacionados para os escritos já tentaram colocar aqui alguns textos mas o Flash e o Java não facilitaram e também o Internet Explorer e o Google Chrome na última  versão do Windows têm ocasionado alguns constrangimentos. Também o António Rodrigues nos ameaçou com uns contributos e ficamos todos à espera ...

2017-09-18

José Manuel Lamas - Navarra - Braga

Que é uma grande borrada, estou de acordo companheiro, mas é só mera estragada, não tem côr nem tem cheiro.

 

Com aquele abraço. 

2017-09-17

A.MARTINS RIBEIRO - TERRAS DE VALDEVEZ

EPIGRAMA PRÒ ZÉ LAMAS

Sem fazer nenhum ultrage

Que o talento não se herda

O Zé Lamas pró Bocage

Fez um poema de merda.

 

Pergunta ele, lampeiro

Se a escrita está borrada;

Pois digo em tom verdadeiro

Que é uma grande cagada.

 

Conheci um certo moço

Com a estranha maluqueira

De tomar pequeno almoço

Sentado na cagadeira.

 

Só que um dia, sem querer

E por fazer gesto impróprio

Entornou leite a ferver

Em cima do periscópio.

 

Quem procura inspiração

No lugar que se destaca

Faz por sabida razão

Sempre um poema de caca.

 

A matraca vou fechar

Pois vos escandalizais

E também ’stou a pensar

Que aqui anda merda a mais.

 

E se falei desta forma

Foi p’ra malta espevitar

Pois que pior é por norma

Ler no sofá e calar.

 

Arcos, Setembro 2017

 

 

 

2017-09-15

José Manuel Lamas - Navarra - Braga

 

    Atrevo - me a fazer esta publicação , apenas e só, porque hoje é o dia do Poeta ... " Bocage "  

 

                    Uma laracha de merda 

 

         Cagar já não me dá prazer

         Quero cagar e não posso

         Puxo até me espremer

         A pontos de o cu me doer

         Parece que vou cagar um osso

 

         Mas não haja preocupação

         Foi um breve desarranjo mau momento

         Que nem carece de medicação

         Pois a máquina já funciona a contento

 

         Digo mais e posso afirmar

         Que é enorme o desatino

         Se precisamos de cagar

         Com preguiça no intestino

 

         Termino perguntando a quem isto lê

         E que não sendo pessoa lerda

         Me diga aqui de boa fé

         Se isto é ou não é

         Um belo poema de merda ?!!!

 

    Com aquele abraço

                                  Zé Lamas  

2017-09-13

Manuel Vieira - Esposende

O nosso site tem estado com alguns problemas e a rubrica "fale connosco" foi a mais afetada por incompatibilidades nas ferramentas informáticas mais antigas. Mas já está em pleno uso e podem ser enviadas agora as mensagens que alguns têm em stand bye.

Alguns colegas têm andado bastante ocupados com as vindimas e bem esperamos que a colheita deste ano traga os resultados esperados tanto em qualidade como em quantidade, para ver se calham alguns exemplares arrolhados aos que mostram melhor porte.

Quer partilhar alguma informação connosco? Este é o seu espaço...
Deixe-nos aqui a sua mensagem e ela será publicada!

.: Valide os dados assinalados : mal formatados ou vazios.

Nome: *
E-mail: * Localidade: *
Comentário:
Enviar

Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.

Copyright © Associação dos Antigos Alunos Redentoristas
Powered by Neweb Concept
Visitante nº