fale connosco


2010-10-09

alexandre Gonçalves - Palmela

Pediram-me para esclarecer o conceito de "transumância". Eu usei-o obviamente em sentido figurado. Tal como Jesus Cristo, só consigo ser claro por meio de parábolas, passe a modéstia! Conheci o termo na Beira Interior, onde se vem celebrando o ritual do mesmo nome. Conhecem-no os pastores da serra, quando os gados são deslocados por escassez de pastos. O latim pode dar aqui uma ajuda: "trans" mais "humus"(terra fresca): deslocar-se, mudar, procurar mais além o que aqui já se gastou, seja pasto, seja uma ilusão, seja um projecto novo. A transumância, aplicada aos humanos, é um permanente desafio, seja qual for a idade. Opõe-se ao cansaço, ao ócio inerte, á indolência parasita. É um movimento "ex imo pectore", que marca o estilo de um homem. É prevenir que alguém repare na idade e diga: temos de cuidar dos nossos velhinhos. Coitadinhos, eles merecem a protecção social. Qual protecção, qual quê? Eles precisam é de mudar de pastos, sejam eles quais foram! É por isso que o Martins Ribeiro, a pretexto dum cabrito do monte, nos persuade em boa hora para largarmos as nossas caninas rotinas e nos mostra a luminosa ilha que habita. Sigam-no! Ele sabe melhor o caminho. Que outros o aprendam, porque os dias são cada vez mais curtos e mais velozes. Que ninguém beba amanhã a vida que está racionada para hoje. Em Arcos transumiremos o qintal, a rua repetida e gasta como as pedras da calçada, os hábitos acumulados como camadas de inúteis verdades. A transgressão é a virtude dos sábios. O mais belo gesto será aquele que agita as águas. De resto, esperam-nos o verde Minho que rima com verde vinho e tudo o que termina em alegria. Obrigado, Martins Ribeiro!
2010-10-07

Arsénio Pires - Porto

Companheiros:


A Equipa Coordenadora da Palmeira vem, encarecida e penhoradamente, agradecer todos os comentários, uns de apreço e outros de saudável crítica, que neste nosso “Fale Connosco” temos recebido e que aqui se quedam à disposição de todos os que os queiram ler.


Só assim nos sentimos motivados a prosseguir com este árduo trabalho (que fazemos com muito gosto e dedicação em favor de todos nós!) o qual, se não fosse o vosso apreço e estímulo, de certo não conseguiríamos concretizar. Vede que já vamos no nº 29!


Por tais motivos, nunca será demais agradecer-vos pois a qualidade, por vós tanto apreciada, da nossa Palmeira, deve-se muito aos nossos colaboradores, claro, mas justo será dizer que se deve ainda mais ao tal estímulo que, de todos os que a recebem gratuitamente, recebemos.


A nossa eterna gratidão.


2010-10-05

assis - Folgosa - Maia

Olá, amigos!

A Internete por estas paragens tem-me deixado pelo caminho.Não consigo chegar até vós e por vezes nem vos leio.

Antes de mais, os meus votos de pronta recuperação para o amigo Pedrosa e o meu abraço fraterno muito especial para ele.

Gostava de dar-vos algumas notícias mais frescas, embora já tenha cá suportado os 41º em Teresina, capital do estado de Piaui, a 640 km de Fortaleza.Fui visitar uma pequena comunidade de Emaús que o Pe. Henri ajudou a fundar. O calor húmido fez-me lembrar os quase 3 anos que passei em Cabinda.Ainda que breve a experiência foi enriquecedora.O Pe. Henri não foi e ainda bem, pois não sei se aguentaria.Ele próprio já teve  há anos a experiência de como é duro ali viver, pois ficou  doente mais duma semana.

Agora estamos tentando regularizar a sua permanência nestas terras. Parece que as coisas estão seguindo o bom caminho.

Não poderei acompanhar-vos na viagem aos Arcos de Valdevez, terra por certo bela e acolhedora. Ficará para uma próxima vez e quem sabe se  na companhia do amigo Aventino, mesmo que em 5ª feira...a literatura é assim...

Vou-me ficando por aqui mais um mesito e pouco, embora as saudades do meu quintal sejam muitas. Mas não quero despedir-me de vós sem antes agradecer a quantos quiseram contribuir para a pequena obra de Vila Velha. O "galpão" está em andamento e até já ali começou a fazer-se um pequeno trabalho com algumas crianças. É preciso dar-se-lhes o pão da boca, mas também o da cultura...É uma pequena gota de água é certo, mas o oceano é todo ele feito de pequenas gotas. Obrigado pois a todos.

Tenho tido outras experiências enriquecedoras, embora algumas bem tristes, como a da morte de crianças de 12 e 14 anos pela maldita droga, mortes ocasionadas por balas que outras crianças dispararam. Assunto sério para as crianças, mas que os adultos quase consideram de asunto banal.Coisas que acontecem aqui a dois passos de nós. A uma dessas crianças, de 12 anos, tinhamos dado cerca de uma hora antes um pequeno lanche. Quem poderia adivinhar uma tal desgraça?...e  o pior é nós termos a certeza de que mais se lhe seguirão, pois "casa onde não há pão, todos berram e ninguém tem razão" - eles têm razão já que são vítimas de uma enorme injustiça da sociedade díspar em que vivemos...Temos de revoltar-nos contra esta sociedade e não podemos contentar-nos em dizer que foi sempre assim... Desculpai-me mas não posso deixar de vos inquietar. Sim, não fomos nós que criámos esta realidade, mas creio que podemos, todos unidos, fazer  algo para que ela se altere ainda que seja pouco.

O meu abraço fraterno para todos vós




2010-10-05

manuel vieira - esposende

Gostei dos escritos do Aventino  e no final aventei-me  a hipótese de ter lido algures o título recente de cinema "adoro-te à distância" em que contracenam Justin Long e Drew Barrymore e que poderá ajustar-se a esta teimosia em não querer tosar cabrito à quinta-feira pelas bandas frescas e límpidas do Vez, mastigando em seco os deleites criativos da soberba arte minhota de bem confeccionar a tenra substância do caprino.

Apontei alguma solidariedade com ele por causa da repetida quinta-feira, talvez por ser véspera de sexta. Claro que também se segue à quarta e esta liberdade de desbunda em qualquer dia da semana desdiz os famosos muros de outrora que continuam a enclausurar mentes mas não os repastos inter reformados dos compromissos.

Como em "adoro-te à distância" teima-se  em forçar a amizade à distância e a parametrizar as datas dos reencontros. Cheira-me a censura à liberdade das quintas, neste caso até poderia ser das sextas não fosse o obstáculo do Peinado.

Se eu fosse o Aventino a escrever ia repetir censura, censura, censura e censura por aí fora em jeito de bloqueio.

Mas estes encontros e reencontros à luz de canecos cheinhos  de  diuréticos do Alto Minho merecem esta prosa pensadora que nunca dispensará os temperos das ervas aromáticas e da cozedura certa das lenhas do forno brando dos lados do Vez.

Numa quinta-feira de 14 venham ao Minho, onde as quintas e as casas apalaçadas reforçam a paisagem e o cheiro dos néctares embebem as artes ancestrais de saberes e sabores incomparáveis.

Venham Aventinos, Diamantinos, Alexandres, Ricardos Morais e outros tais e amesendem-se nas fraldas da serrania verdejante onde os espigueiros proliferam e as vindimas dos verdes espalham já o mosto cheiroso.

É no Minho que as quintas têm mais sabores, sejam de casas senhoriais ou quintas feiras e a quinta que foi escolhida foi a de 14 e os portões estarão bem abertos para os comensais, reformados ou não, mas venham desenfastiados...que deste cabrito não há mais!

 

2010-10-05

Arsénio Pires - Porto

Um Susto para o José Maria Pedrosa

A notícia está na rubrica "Notícias" mas temo que nem todos tenham dado por ela. Por isso peço desculpa mas repito-a aqui.

O nosso colega e associado, Pedrosa, apanhou um valente susto: teve um AVC (Acidente Vascular Cerebral) mas, felizmente, já se encontra em casa depois de ter passado 8 dias internado no hospital S. Francisco Xavier.


Tudo aconteceu próximo deste hospital o que facilitou o seu rápido atendimento e ataque ao AVC facilitando, assim, a rápida recuperação.


O Pedrosa está, pois, totalmente recuperado sem qualquer sequela. Terá, sim, que passar ainda mais algum tempo em total repouso e “abstinência” de quaisquer actividades (inclusive o acesso ao computador).


Ao Pedrosa desejamos a consolidação da sua total recuperação e um rápido regresso, (mas com calma!) às suas múltiplas actividades.

Quer partilhar alguma informação connosco? Este é o seu espaço...
Deixe-nos aqui a sua mensagem e ela será publicada!

.: Valide os dados assinalados : mal formatados ou vazios.

Nome: *
E-mail: * Localidade: *
Comentário:
Enviar

Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.

Copyright © Associação dos Antigos Alunos Redentoristas
Powered by Neweb Concept
Visitante nº