fale connosco


2011-07-26

Arsénio Pires - Porto

O Vieira veio focar um problema que me toca profundamente:

O próximo desaparecimento da Editorial e da revista Míriam.

 

Este é um grande sinal dos tempos que, a meu ver, se prende com a Igreja em geral:

A Igreja institucional, com o seu esquema tradicional que remonta aos tempos constantinianos do séc. IV, já não diz nada a quase ninguém.

Mas parece que ninguém quer enfrentar a realidade.

A autêntica mensagem de Jesus foi deturpada, quando não mesmo “rasgada”, ao longo dos séculos por esta instituição que consegue chegar ao séc. XXI com um esquema absolutista, nada democrático e com práticas que, nalguns aspectos, infringem os fundamentais direitos humanos no que à igualdade dos mesmos diz respeito. Dou um exemplo: a condição subserviente e limitativa de ascensão a postos de serviço da mulher (disse “SERVIÇO” e não honrarias ou eminências…reverendíssimas… sumos pontífices…) quando comparada com o homem.

Felizmente que o principal desta Igreja (mas, infelizmente, o menos visível… ou talvez não…) perdurou ao longo dos séculos e não largou o cap. 25 de Mateus!

 

Por isso me dá dó ver desaparecer um posto tão privilegiado de difusão do evangelho de Jesus, como é o duma Editorial e um revista, por não terem sabido adpatar-se aos tempos modernos, insistindo na venda de livros que pouco mais falam do que de novenas, terços e jaculatórias.

Quem pode comprar livros assim?

Onde estão os grandes temas que afectam os homens e mulheres de hoje?

Onde está, também na mensagem escrita, a Igreja que se quis “semper reformanda”? Que temas temos visto serem tratados na Míriam que interessem minimamente aos cristãos de hoje?

Depois… não há leitores? Pudera!

Quem aguenta?

 

Nota: Houve uma proposta formal feita à Congregação (que incluía  um grupo de ex-alunos redentoristas) para dar continuidade à Editorial e à Miriam, que viria a ser dentro duma linha moderna, com raízes no esquecido (ignorado?) Concílio Vaticano II, aberta à sociedade dos homens de hoje.

Resposta: NÃO!

2011-07-26

manuel vieira - esposende

Hoje voltei a Gaia. Fui dar um abraço ao Nabais que vai reformar-se estes dias. Mais uns dias de trabalho e acaba o seu vínculo profissional com a Editorial Perpétuo Socorro, onde labutou bastantes anos.

A Editorial deve-lhe seguir os passos ao que penso, pois a Revista Miriam não deve passar do final do ano e já não há novas publicações de livros.

Os tempos são outros e os temas merecem ser outros e a tal magia que atrai gente já não existe.

Como o Mário Soares dizia há dias do seu partido, é preciso refundar a Edtorial, isto porque o fenómeno da leitura tem oferta diversificada e o mundo dos leitores tem de ser estimulado.

Claro que o Manuel Fernandes ainda no sábado lançou o seu livro seguindo os moldes tradicionais e tem o seu mercado.

Sinto e penso que a Comunidade Redentorista tinha como veículo da sua mensagem a sua Editorial e a sua revista Miriam, e a sua missão tende a desfalecer com este desaparecimento.

A não ser que se reconfigurem os meios...

2011-07-24

manuel vieira - esposende

Hoje o Manuel Fernandes apresentou o seu novo livro e o salão do seminário esteve bem composto com alguns colegas nossos a ocupar lugares ao lado de muitos amigos e familiares do autor.

O Fernandes convidou para a mesa 2 poetas da sua amizade que declamaram poemas de criação própria e também de autores conhecidos e que encantaram a plateia.

A apresentação da obra foi bem estruturada pelo seu antigo colega, o sociólogo José Luís Ferreira, que dissertou longamente sobre  cenários da infância do autor em terras de Vale de Espinho.

Também Alberto Pacheco abordou temáticas do livro que referenciam e estimulam a uma leitura desta segunda obra do Manuel Fernandes.

Amanhã vou-me abrigar da nortada deste Julho e vou aproveitar para dar um avanço na leitura.

 

2011-07-21

manuel vieira - esposende

Parece que a minha açorda lá vai fazendo "arrotar" boa gente, presumo que pela força do alho, condimento imprescindível na sua estrutura de sabores e que tem por companheiro sensível o aroma da fervura dos coentros.

O bacalhau bem lascado de boa cura também é parte preciosa na terrina e só evidencia que os bons produtos são essenciais a uma confecção no ponto.

Quando o Peinado tirar férias em Esposende (vai ter de fazer reciclagem ao português de tanto ir para Espanha), então vamos ter pano para mangas, como manda a boa Escola dos Comungantes da boa mesa, com outras conversas pelo meio.

Entretanto, no próximo Sábado, o nosso colega Manuel Fernandes apresenta o seu novo livro no Salão do Seminário e lá espero estar para visitar também o novo espaço destinado à AAAR. Espero rever por lá alguns colegas.

2011-07-21

PEUNADO TORRES - PORTO

Bom dia companheiros ESTORM AM INSCREVER-ME PARA o convívio e almoço do famoso e apetecido pitéu " FODA DE MONÇÃO " , mas atenção no meu calendário o dia 13 de setembro é a uma TERÇA-FEIRA, anda para aí muito boa gente distraída, e embora se trate de uma jornada de fraternidade " oclube dos que gostam de por os pés debaixo da mesa " tem normas , organização e disciplina. É bom que tomemos emdevida nota que não nos desmobilizamos. VIVA A VIDA, A ALEGRIA E A VONTADE DE ..... . Vou novamente de férias, até brave . V0LTAREI P.S. MANEL VIEIRA és um bom presidente e também um bom malandro, teremos que conversar sobre a AÇORDA e outras coisas que não são de comer

Quer partilhar alguma informação connosco? Este é o seu espaço...
Deixe-nos aqui a sua mensagem e ela será publicada!

.: Valide os dados assinalados : mal formatados ou vazios.

Nome: *
E-mail: * Localidade: *
Comentário:
Enviar

Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.

Copyright © Associação dos Antigos Alunos Redentoristas
Powered by Neweb Concept
Visitante nº