fale connosco


2013-06-22

António M. Rodrigues - Coimbra

Mui estimado e prezado "Kumité", a não ser que haja impedimento grande e imprevisto, nos dias 14 e 15 de Setembro, eu mais ela compareceremos nesses sagrados lugares torguianos.

Caso não esteja prevista e ainda haja disponibilidade recomendo uma visita à capela da Srª da Azinheira.

Se alguém souber ou conseguir informação acerca da casa e do quarto em que o refractário seminarista Adolfo Rocha habitou em Lamego, gostaria muito de saber dela.

Comparando a nossa viagem a Lamego, com a primeira que ele fez ha-de, por certo, ficar bem danadinho, mas também não pode andar tudo ao jeito dele. Que se amanhe e fique quieto, enquanto andou por cá resmungou bem a parte dele.

Saúde da boa ou da bem recuperada para todos.

2013-06-22

JOSÉ MANUEL LAMAS - NAVARRA - BRAGA

O jornal de Navarra tem hoje condições para informar com segurança, tudo o que está relacionado com o grupo de individuos que se deslocava em direcção ao Alto Minho. Soubemos hoje através da mesma fonte (anónima) que o grupo é formado por duas facções, uma oriunda de vários quadrantes do norte do País e a outra do sul, sabe_se lá de que parte da Moirama, mas também quando se trata de Mouros, o assunto torna_se complicado. A dita fonte, que já não é anónima, disse à nossa redacção, após ter apresentado queixa à autoridade local, que se tratou de dois grupos de invasores que assaltaram os favais de Cabanas e que a seguir à sua passagem, não ficou para trás nem um grãozinho de fava para o pobre gaio.                                                                                                                                  A fonte de toda a informação é o triste gaio que viu as favas pelo canudo do Bom Jesus de Braga.

2013-06-22

alexandre gonçalves - palmela

PAISAGENS  DE  SETEMBRO II

 

Que alegria quando me disseram: vamos todos a jerusalém! Os nossos passos não enganam e não se enganam. Já caminham para os socalcos, já vêem os vinhedos, já saboreiam estas paisagens culturais, elementais, espirituais. Os nomes que assinam a promessa são todos altamente. Vamos ter dois dias inesquecíveis. A Associação atravessa um grande momento. Os que diziam que ela caminhava para um estado de coma não sabiam do que estavam a falar. E por isso estão todos absolvidos, desde  que venham. É preciso acreditar, canta Coimbra. Já não faltam muitos dias para tudo se concluir. Carpe diem, diz o romano, agarra a onda, meu amigo, e contigo venham mais cinco! Setembro é precisamente a nossa hora. Depois vem o outono, atravessado por nuvens melancólicas. No inverno, já não contamos. Se tenho fé? Eu tenho-a nisto, nestes abraços antigos, nestas palavras latinas, cheias de música e de memórias. Em suma, nos afectos que ainda podemos distribuir sem ruído, com a inocência dos primeiros anos. Fé na pátria? Deus me livre! Fé em Deus e seus sucedâneos, Deus me livre! Fé na Europa e na América, que o diabo seja cego! Acredito na nossa alegria colectiva, na voz alta e descortês dos nossos almoços anuais, nos nossos exageros vínicos e gástricos, na nossa desafinação musical, ao elevarmos vocalmente os nossos sentimentos. E acredito na infinita paciência que as mulheres usam para connosco. Elas que vão em abundância, com ou sem mérito, para serem testemunhas vivas do nosso tempo e da nossa excelência, desde que desculpem de antemão as fraquezas do amor. Citando o Aventino, quem em tempo adequado não aprendeu a gostar será sempre não um sonho mas um pesadelo, para qualquer herdeira das admiráveis virtudes de Eva. Que alegria quando me disseram que em setembro temos encontro em jerusalém!

2013-06-22

JOSÉ MANUEL LAMAS - NAVARRA - BRAGA

Notícia de última hora                                                                                                                                                                                                                                                                          O jornal de Navarra, recebeu de fonte anónima a informação de que um significativo grupo de individuos foi visto a movimentar_se em direcção a algures no Alto Minho. O nosso representante ainda tentou junto da referida fonte, saber das intenções que faziam mover o grupo nessa direcção, obtendo como resposta: __ Um pronto não sei.                                                                                               À hora do fecho da nossa redação, não conseguimos mais informações sobre este assunto, mas prometemos esclarecimento mais pormenorizado, já no número seguinte.

2013-06-21

manuel vieira - esposende

Relativamente ao Encontro 2013 cá vai o "Comunicado" do "Kumité":

 

Caríssimos AAARs

As andorinhas chegaram ao “DOURO VINHATEIRO”.

Embevecidas com a paisagem e gastronomia, depois de tanto voarem, o seu destino tinha de cumprir-se. Escolhido o terreno, planearam e começaram a construir o ninho:

         - ENCONTRO   DOS   DIVIDENDOS   2013 –

    DIAS 14 e 15 de SETEMBRO de 2013

 

Torga e o seu “Doiro Sublimado” em São Leonardo da Galafura é “um prodígio de uma Paisagem”.

Redescobrindo o universo torguiano mais recente, temos o Espaço Miguel Torga em S. Martinho de Anta, mui cerca da casa onde nasceu, notável obra do Arqº Souto Moura.

Se Torga escreveu “necessito de ter as minhas contas em dia, como qualquer mortal honrado” os mortais AAARs  honrarão sua palavra em Assembleia Geral, no Centro Cultural de Sabrosa.

Adoçada a pilula vocabular, propõe-se o sacrifício do lenho, num restaurante em Sabrosa.

Mas só tu, ó Douro, mo dás e levas. Então, vamos descendo à procura da evaporante brisa, até ao Pinhão.

Límpida a corrente sanguínea, desaguaremos na quinta do Tedo, onde decorrerá a prova oral dos conhecimentos adquiridos, sobre o produto dos socalcos do Douro.

Repousaremos, na portuguesa capital do estilo barroco “Lamego”.

Após a recepção no Hotel, estamos a prever alguma tranquilizante liberdade .

No Domingo  a  hora a determinar, subiremos de autocarro ao Santuário de N.Srª dos Remédios  e ao Castelo.

Encerraremos o  encontro, num almoço na quinta de S. Domingos, regressando às origens atempadamente, para quem tem que fazer conexões.

 

Caríssimos AAARs, daremos mais noticias muito brevemente, com custos, horários e algo mais que as andorinhas e os melros julguem fundamental.

 

Não sejamos nós “mortórios”, Estimados AAARs .

Entre a beleza dos socalcos vinhateiros, existem os sinistros “mortórios” ou seja as ruínas de antigos socalcos que jamais voltaram a ser replantados, causa da filoxera que atingiu o nosso Douro.

 

 Um Abração

    Deste mix de gerações ,Gaudêncio/Diamantino/Belmiro/Zé Castro

 

 

Quer partilhar alguma informação connosco? Este é o seu espaço...
Deixe-nos aqui a sua mensagem e ela será publicada!

.: Valide os dados assinalados : mal formatados ou vazios.

Nome: *
E-mail: * Localidade: *
Comentário:
Enviar

Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.

Copyright © Associação dos Antigos Alunos Redentoristas
Powered by Neweb Concept
Visitante nº