fale connosco


2020-06-22

ANTONIO GAUDENCIO - LISBOA

 

 

                                              Já oiço dobrar os sinos

                             Para o funeral da Aaar

                             Que o cangalheiro da Palmeira

                              Parece  querer vaticinar 

2020-06-22

Arsénio de Sousa Pires - Porto

QUADRAS FOLEIRAS


Dizem que o S. João

não regula bem da mona:

Foi prá China, de avião,

e esqueceu-se da Corona.


Mandou fazer uma, à pressa,

do mais puro ouro fino;

chegou cá e of’receu-a

ao irrequieto Aventino.

 

Por isso, não há S. João

neste ano invulgar:

Um, foi pró rio Jordão,

quer voltar a baptizar.

 

O outro, vendeu a Corona

pra pôr sardinhas a assar

e mandou-nos fazer quadras

pró enterro da AAAR.

2020-06-20

manuel vieira - esposende

Fui tão parco em palavras 

que me esqueci do S.Pedro

mas também não vai ter festa

num ano que é bem negro.

2020-06-20

manuel vieira - esposende

Pretendendo também não escapar ao desafio do Aventino, cá vai uma quadra não maliciosa:


Ó meu rico Santo António,

de Pádua por adopção,

Ficavas tão bem no Porto

ao lado do S.João.

2020-06-20

alexandre gonçalves - palmela

Agora sim e sem doutrinas, porque o desafio exige foleirice.

 

1. Repara bem como eu ando,

ó meu S.joão do Porto!

por paixão me estou matando,

já me sinto quase morto.

 

2.Só irei à tua festa

se me salvares a vida!

Sem amor ela não presta,

sem amor está perdida,

 

3. S. João foi à fonte,

Madalena esperava.

Ele beijou-a na fronte,

enquanto ela desmaiava.

 

O milagre foi depois

logo da primeira vez.

No chão da fonte eram dois,

para casa vieram três.


Quer partilhar alguma informação connosco? Este é o seu espaço...
Deixe-nos aqui a sua mensagem e ela será publicada!

.: Valide os dados assinalados : mal formatados ou vazios.

Nome: *
E-mail: * Localidade: *
Comentário:
Enviar

Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.

Copyright © Associação dos Antigos Alunos Redentoristas
Powered by Neweb Concept
Visitante nº